Secretária de Estado da Promoção da Saúde defende investimento em unidades de saúde para prevenir situações de violência.

“A violência deixa-nos revoltados, sobretudo na área Saúde, porque os profissionais estão ali para ajudar”, disse Margarida Tavares, na sessão de encerramento do seminário “Violência no Setor da Saúde – Da Prevenção à Ação”, que decorreu no dia 17 de novembro, em Lisboa.

A Secretária de Estado da Promoção da Saúde considerou prioritário dar visibilidade e abordar o problema da violência nos serviços de saúde, nas suas múltiplas formas, por forma a melhorar “a proteção dos profissionais e dos utentes do Serviço Nacional de Saúde”.

Para Margarida Tavares, “não é possível enfrentar a violência em contexto da prestação de cuidados de saúde sem abordar a sua génese”, considerando por isso essencial “melhorar o ambiente, as condições físicas e estruturais e os meios das unidades de saúde”, para que os profissionais se “sintam confortáveis e realizados no trabalho”.

A governante afirmou ainda ser fundamental “investir nas condições de acolhimento e na forma como comunicamos como os doentes e os seus familiares”, prevenindo o surgimento de situações de risco que resultem em episódios de violência.

Durante o seminário, foram apresentados projetos desenvolvidos pelas instituições de saúde e forças de segurança no âmbito do Plano de Ação para a Prevenção da Violência no Setor da Saúde (PAPVSS), incidindo sobre a prevenção da violência e também sobre o apoio a disponibilizar às vítimas.

Para dar ferramentas aos profissionais de saúde para lidarem com esta realidade, entre outras medidas, têm sido promovidas diversas formações. Nos primeiros seis meses deste ano contabilizam-se 227 ações de formação e prevenção de violência realizadas por iniciativa das instituições de saúde e 139 ministradas por elementos da PSP/GNR, tendo como destinatários médicos, enfermeiros, assistentes técnicos e assistentes operacionais.

De: https://www.sns.gov.pt/noticias/2022/11/24/prevenir-violencia-no-setor-da-saude/