Uso da máscara mantém-se obrigatório nas unidades de saúde e residenciais para idosos..

“A situação da pandemia permite-nos tomar, com toda a segurança, a decisão de não renovar o estado de alerta no território continental”, anunciou o Ministro da Saúde, Manuel Pizarro, na conferência de imprensa que decorreu após o Conselho de Ministros de 29 de setembro de 2022.

O Ministro da Saúde justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação da população portuguesa, da proteção conferida pela vacina e da menor agressividade das estirpes de SARS-CoV-2 que estão neste momento em circulação, a incidência da doença e sobretudo o seu impacto na saúde das pessoas e no funcionamento do sistema de saúde tem-se mantido estável e controlado”.

Manuel Pizarro sublinhou que a reversão do estado de alerta não significa que a pandemia de Covid-19 esteja ultrapassada. Para o Ministro, é essencial “continuar a vigiar a evolução da doença e conferir prioridade à vacinação, em especial das pessoas que estão em maior risco”.

O governante agradeceu aos portugueses a adesão ao programa de vacinação que está em curso contra a Covid-19 e contra a gripe. “Desde o início de setembro até ao dia de hoje foram vacinadas contra estas duas doenças mais de 450 mil pessoas”. O Ministro relembrou ainda que está em causa a vacinação das pessoas com mais idade e pessoas portadoras de certas patologias, além dos profissionais de saúde.

Num contexto de regresso progressivo à normalidade, o ministro apelou para que se mantenham os cuidados de higiene respiratória e que as pessoas infetadas com covid-19 ou em contacto com um doente devem usar máscara e manter distanciamento, além de continuar a ser obrigatório o uso de máscaras nos hospitais e lares de idosos.

Créditos da foto: João Bica/Portal do Governo

De: https://www.sns.gov.pt/noticias/2022/09/29/governo-nao-renova-situacao-de-alerta/