Santa Marta realiza transplante após 162 dias de suporte ECMO.

O Hospital de Santa Marta, em Lisboa, realizou um transplante pulmonar a um doente de 56 anos após 162 dias de suporte ECMO (Extracorporeal Membrane Oxygenation) em internamento na Unidade de Urgência Médica (UUM), no Hospital de São José.

Assistido noutro centro hospitalar, o doente foi proposto para ECMO ao 15.º dia de internamento. O equipamento foi implantado pela equipa do Centro Hospitalar e Universitário de Lisboa Central (CHULC), na unidade de origem, sendo o doente transferido, de seguida, para o Hospital de São José.

Durante a permanência em ECMO registaram-se várias complicações, tais como, infeções bacterianas, insuficiência cardíaca e hemorragia com necessidade de múltiplas transfusões. A ventilação mecânica invasiva foi suspensa ao 42.º dia de internamento, mantendo-se apenas sob suporte ECMO e um longo processo de reabilitação. Sem que se verificasse uma recuperação pulmonar, o transplante acabou por ser proposto.

A cirurgia, realizada no Serviço de Cirurgia Cardiotorácica do CHULC, no Hospital de Santa Marta, decorreu com a conversão de ECMO-VV (venovenoso – suporte respiratório) para ECMO central VA (venoarterial – suporte pulmonar e circulatório) e com a implantação de apenas dois lobos. A opção de realizar um transplante bilobar, e não com pulmões inteiros, deveu-se à pequena estatura do doente recetor e à urgência do procedimento.

A cirurgia decorreu de acordo com o programado e, ao fim de 138 dias após transplante, o doente teve alta sem suporte de oxigénio, autónomo e mantendo um programa de reabilitação.

De: https://www.sns.gov.pt/noticias/2022/09/14/chulc-transplante-pulmonar/